Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2008

no words

nada, nada, nada, nada....

Não tenho vontade de fazer NADA!!!!!
E pronto... já partilhei a minha preguiça com o Mundo! (ou será cansaço?!) Agora vou preparar a minha intervenção na formação de amanhã....
(ah! a foto foi o momento de relax!)

Já está on line!!!

O artigo referente à minha dissertação de mestrado foi finalmente publicado: "Narrativas de literatura para a infância ao longo de três gerações: famílias de classe média em Almada". Podem ler aqui.

"Dar" Música!

Chego a casa depois de um dia inteiro passado nos Jardins-de-infância. Ligo a televisão e "encontro" reportagens sobre o Conservatório de Coimbra. Ligo o portátil, vejo os mails, vou ao meu blog e passo por outros. No Rerum Natura volto a encontrar a Crónica do Público sobre o novo Plano do Ensino da Música. A música dá que falar e as medidas que estão a ser tomadas são mesmo um "desconcerto educativo"!!

Incentivo as minhas alunas, futuras educadoras de infância, a valorizem na Educação Pré-escolar o domínio da Expressão Musical (área da Expressão e Comunicação) e juntas assistimos ao envolvimento das crianças em projectos musicais. Para quê?! - poderia perguntar depois de ver/ler estas notícias. Mas prefiro continuar a pensar e a fazer pensar que a Educação tem conserto.

zap... zap... "olha, sou um cyborg!!!"

Nunca pensei que por usar lentes de contacto fosse considerada um cyborg!!
Na verdade nunca tinha pensado muito nisto (até ter tido a notícia ao fazer zapping na rtp2), mas...

" many cyborgologists would say that we are all cyborgs to some extent, especially as our daily lives become increasingly connected to technologies of all kinds." ler mais

Por isso, todos nós temos um pouco de cyborg!! Ah pois é!

A responsabilidade social de (não) ficar obsoleta

Seguindo uma pista deixada pela Glicéria, vim ter aqui e depois saltitei para aqui. Finalmente deixo alguns pensamentos soltos sobre o que li e o convite para ler quem percebe do assunto.

Publicar ou morrer...

Os papers e as citações são uma questão sobre a qual tenho vindo a reflectir nos últimos tempos. É impressionante a quantidade de artigos que podemos ler sobre os mais variados assuntos e se é missão quase impossivel ler tudo sobre um único, imagine-se sobre todos os que nos interessam! Não há como não ficar obsoleta... é uma tarefa ingrata!Ler artigo


A responsabilidade social de ser cientista...

Há que distribuir as preocupações e as responsabilidades. Interacções entre a ciência e a sociedade, em debate mundial, porque "o conhecimento não é neutro". Um debate a acompanhar por todos os investigadores. Ler artigo

Entre uma leitura e outra, não me sai da cabeça a importância da investigação e a nítida dificuldade e responsabilidade social em não ficar obsoleta.

e a vida não é existir sem mais nada, a vida não é dia sim dia não...

...
mas é preciso morrer e nascer de novo
semear no pó e voltar a colher
há que ser trigo, depois ser restolho
há que penar pra aprender a viver.

e a vida não é existir sem mais nada
a vida não é dia sim dia não
é feita em cada entrega alucinada
pra receber daquilo que aumenta o coração.
(Mafalda Veiga)... há dias em que acordo a cantarolar uma música e "fico com ela" o dia todo... hoje foi esta !!!

A Comunicação no CIEC

ViewUpload your own E a assistir encontravam-se várias alunas minhas: senti-me quase em "casa". Foi bom encontrar-vos num Congresso Internacional!Algumas fotos estão noCores Extrase noFrente e (re)Versopode ler mais sobre o Congresso.

Carnaval a quanto obrigas...

Depois de ter reorganizado o trabalho e a agenda, parece que tudo está mais claro... e estava aqui a pensar no carnaval (que já passou eu sei!!) e num grupo de crianças que vi em Braga...
E surgiram-me novamente tantas questões que resolvi partilhá-las com quem ainda cá passa (se é que ainda passa alguém neste jardim que olhe para as suas cores esbatidas)!!!

Num Centro Comercial em Braga "passeava" um grupo de crianças de 2/3 anos. Os meninos estavam mascarados de macacos, as meninas mascaradas de bananas e as educadoras... essas não estavam "mascaradas". Algumas crianças caminhavam com visível dificuldade...

Não consigo alcançar o que leva uma educadora de infância a fazer determinadas escolhas!! Num dia dedicado ao Carnaval em que o imperativo deveria ser "brincar, brincar, brincar"...
Porquê ir caminhar para o centro comercial.
Porquê "todos" vestidos de acordo com um tema?!
E porque é que são os meninos macacos e as meninas bananas?! (que tipo…

AGLOWTHCXSZD

Escrever no blog está mesmo complicado... parece que cada vez que me sento para escrever, as letras baralham-se no pensamento e não conseguem formar palavras... esperemos dias melhores...