domingo, março 07, 2010

A Educação das crianças na China


"Contrariamente ao que ocorre nos países europeus, a educação de uma criança na China é intensa e extrema, até ao ponto de que alguns adultos não teriam a capacidade de suportar a pressão, o nível de exigência é realmente elevado e as crianças convertem-se em máquinas para estudar, pouco tempo para o jogo, muita disciplina e demasiadas obrigações educativas com as que forçosamente estão comprometidos.


(...) A educação contempla as horas de escola habituais mais as horas extra-escolares que se dedicam aos deveres, classes adicionais de matemática, inglês e no final as crianças devem acabar as tarefas escolares a altas horas da noite e realmente extenuados." (publicado no Boletim da AMEI-WAECE, que pode subscrever aqui. Ou ler na íntegra, em espanhol, aqui).

3 comentários:

Maria da Luz Borges disse...

E por aqui? A educação vai mal precisamente porque não há responsabilização, interesse nem disciplina. Mas não é disciplina imposta, mas sim interior. Uma parte das nossas crianças cresce sem regras e sem limites. As famílias simplesmente desmarcam-se do seu papel de pais/segurança e limitam-se a realizar todas as vontades e caprichos das crianças, achando que é assim que os ajudam a crescer saudáveis. Na China exige-se demais? Pois em Portugal parece-me que "se exige de menos"!!!

Joana disse...

Não há sistemas ideais... esse parece-me um pouco demais, mas sem o viver é dificil saber...

Anónimo disse...

E por aqui um desleixo com a educação das crianças, muitas soltas pela rua, outras que os pais realizam todos os desejos e acolhendo a criança após cometerem erros graves sem tomar uma providência educativa. Enfim, acho que o Brasil deveria mirar na educação de outros países pra sair dessa bagunça que se transformou o processo educacional.