Avançar para o conteúdo principal

Vejam lá se (me) entendem


Pois, que eu tenho a tentação de me meter em projectos e mais projectos e depois lá me vejo a braços com desafios que não sei se consigo superar e tenho que me virar de qualquer jeito! Por isso, é favor de não me tirarem o prato nem o vinho e dêem-me um cigarrinho que é para ver se eu consigo fazer isto.

Pois, que não devem estar a perceber nada do que eu estou para aqui a dizer mas também não se arreliem que não tem importância. Qualquer dia pode ser que isto faça mais sentido!

Pois, que interessa saber que nem só de projectos com as crianças vivemos nós e desta feita fui eu mesma que me meti num há cerca de um mês atrás. Para já, para já, estou para aqui de volta das fotografias dos tempos de Lamego (como a do início do post e outras) para ver se me inspiro.

Pois, este post está mesmo a ficar confuso e longo e já vai tempo de terminar com esta ladainha. Resta dizer que andei a ler um livro recheado de regionalismos, que a minha voz está mais colocadinha e que tenho que ir pegar agora no copo de vinho e no cigarro. Ai, que se esta semana promete... a próxima é a loucura!

Comentários

Cristina Lares disse…
Boa sorte!! E que a loucura da próxima semana seja
"sana"!!
rute moura disse…
CRISTINA: Obrigada! Tudo isto é uma loucura "sana". Felizmente!!!
Bom, perita em me meter em projectos também sou eu... às vezes a velocidade é tanta que até causa vertigens! Mas depois de tudo pesado o saldo acaba por ser positivo.
Quanto à partilha dos posts, é impossível não o fazer. É muito bom trabalhar neste projecto. E entretanto já iniciámos um segundo, desta vez Ibero Americano, que tm como título " Todos somos precisos" e que tem como objectivo assinalar o Ano Internacional da Biodiversidade e que se debruça sobre as nossas ribeiras. Tem sido fascinante!
Amanhã parto para Tomar, para mais um encontro etwinnig, subordinado ao tema"Changelling schools", e se há alguém que goste de desafios sou eu... Só tenho pena de não conseguir arrastar-vos comigo! Este é um desafio muito interessante e muito enriquecedor, tanto para as crianças como para nós!
Bom resto de semana e muito sucesso para o tua nova tarefa.
Luz

Mensagens populares deste blogue

Mãos à Obra!!!

Quando o pai da I. esteve a explicar-nos "como se fazem casas" (post anterior) ofereceu-nos um presente! Vejam só...
Os tijolos, as telhas... tudo em miniatura mas em tijolo! O "cimento", a pá de pedreiro... É o máximo, não acham? Agora só faltava pôr "MÃOS À OBRA"! Foi o que fizémos! Depois de misturar o pó com a água ficámos com cimento e começámos a construir a nossa Quinta. Sim, é uma Quinta e tem um poço e até animais.Tijolo a tijolo a nossa Quinta vai crescendo! É preciso muito trabalho de equipa porque isto da Construção Civil é trabalho pesado!E quando quisermos "mudar de casa" basta pôr esta dentro de água e ficamos com tijolos para construir outra vez! Quando a nossa Quinta estiver pronta estão convidados para uma "visita", fica combinado!

O prazer de cuidar, ver crescer, cozinhar e partilhar

Na nossa horta nós aprendemos a prever, a planear, a observar, a regar e a cuidar, a medir, a contar, a pesquisar, a partilhar, a cooperar... 



(A semear alfaces e couves com um avô.)

(Sensibilização para proteger a horta.)

(Colheita de feijão verde e outros legumes para a nossa sopa.)

 (Cabaz da nossa horta para oferecer ao nossos amigos e parceiros educativos da Junta de Freguesia)

(As batatinhas assadas que estavam uma delícia!)
E na horta há sempre muito para fazer e aprender. E é tão bom!!! (Tão bom que até nos esquecemos de fotografar.)

Yoga e Teatro

Os Girassóis semanalmente fazem prática de Yoga Integral. Atravessamos a estrada do nosso JI e lá estamos nós, numa sala gentilmente cedida por um nosso amigo, a mergulhar no Planeta Mágico dos Animais do Yoga. 


O Yoga também faz parte do nosso quotidiano no jardim de infância, revela-se na forma como nos relacionamos com os outros e com a natureza. E agora também na nossa relação com as Artes. Após uma ida ao teatro, resolvemos fazer a nossa própria peça de teatro, criámos diálogos, escolhemos espaços, adereços e músicas. 

Criámos e recriámos as posturas que conhecemos do yoga, interpretámos pequenas sequências de movimentos de forma adequada e adequada a cada personagem e à temática. 

Estivemos a explorar o conceito de yoga-teatro. 

Convidámos os colegas das outras salas e apresentámos o nosso espetáculo. 

Brevemente iremos apresentá-lo numa sala de teatro, perto de nós. Mais um passo nesta experiência que nos leva a ter mais interesse pelo yoga, pelo teatro e a utilizar progressiv…