quarta-feira, setembro 13, 2006

Um traço...

Um traço surge no papel... com mais ou menos força.

Outros traços lhe seguem... com maior ou menor precisão.

Uns traços saiem da folha...

Outros apenas tocam o papel em pequenos pontos...

... mas em cada traço da criança, do mais simples ao mais complexo, está a sua visão do mundo... os seus sentimentos...


4 comentários:

Fatima Vinagre disse...

Quer seja um traço de uma criança ou de um adulto, o traço revela sempre o estado de espírito do individuo que o faz. Quanto à visão, esta, na minha opinião, depende de quem a faz. Bj

deep disse...

Este teu post fez-me lembra um texto do Almada Negreiros:
“Pede-se a uma criança: Desenhe uma flor! Dá-se-lhe papel e lápis. A criança vai sentar-se no outro canto da sala onde não há mais ninguém. Passado algum tempo o papel está cheio de linhas. Umas numa direcção, outras noutras; umas mais carregadas, outras mais leves; umas mais fáceis, outras mais custosas. A criança quis tanta força em certas linhas que o papel quase não resistiu.

Outras eram tão delicadas que apenas o peso do lápis já era demais.

Depois a criança vem mostrar essas linhas às pessoas: Uma flor!

Contudo, a palavra flor andou por dentro da criança, da cabeça para o coração e do coração para a cabeça, à procura das linhas com que se faz uma flor, e a criança pôs no papel algumas dessas linhas, ou todas. Talvez as tivesse posto fora dos seus lugares, mas, são aquelas as linhas com que Deus faz uma flor!”

Rute disse...

Deep:

Tens razão!!!! Conhecia esse texto e já nem me lembrava dele! Ando aqui a pensar em desenho e a preparar umas coisas (depois vais perceber!) e comecei a escrever e saiu este post.

Engraçado como as palavras ficam na nossa cabeça, fazem eco com as nossas vivências e tomam formas e contornos que se assemelham ao das outras pessoas...

Obrigada por me dares essas palavras de Almada Negreiros que, ao que parece, também andavam perdidas na minha cabeça...

Beijinhos

'Tá Difícil disse...

:) também conheço esse texto, e lembro-me muitas vezes dele (perceberão o porquê, certamente).
E subscrevo igualmente a conclusão do "post": "a sua visão do mundo... os seus sentimentos..."

Um beijinho
Tá Difícil