terça-feira, outubro 31, 2006

Ecos digitais escritos a tinta permanente




O cheiro e o toque do papel sempre estiveram presentes na minha vida. Desde a minha infância que os livros me acompanham e que rabisco palavras várias sobre diversos assuntos.


Agora alguns desses rascunhos são digitais, ilustrados por fotos que, outrora em papel, ganham cor neste espaço virtual a que dei o nome de Jardim das Cores.


O toque da caneta vai dando lugar ao toque do teclado. As linhas a tinta permanente são agora mais raras... mas existentes.


Algumas das palavras que apenas faziam eco em mim... agora são partilhadas com quem passeia neste jardim e as escuta. Essas palavras já não são só minhas... mas há umas cujo eco continua no meu interior... essas sim, são só minhas.

4 comentários:

pitanga disse...

Sei exatamente do que falas, querida professora. Alguns papéis ainda ficam nas gavetas que só nós temos a chave.

beijinhos e bom feriado

Pó_d'água disse...

Existem palavras que só gostamos de partilhar connosco. Essas guardamo-las no nosso interior...

Beijinhos

Ivo disse...

É a dita evolução!! Mas é positivo... agora existe um feedback... e continuarás a manter sempre um «eco» só teu!!

BEijos

Susy disse...

Oi,
venho pedir para aceitar o desafio em confessar 5 manias!

Beijinho