Avançar para o conteúdo principal

Acrópole de Atenas no Maravilh'Arte 21


Construída no cume daquela que ficou conhecida como a "Colina Sagrada de Atenas, a finalidade da Acrópole seria irradiar poder e protecção para os seus cidadãos. Os templos da Acrópole tornaram-se os mais famosos pontos de referência arquitectónicos dos tempos antigos e modernos. Actualmente, o Parténon, em particular, constitui um símbolo internacional da civilização grega. O próprio logótipo da UNESCO é composto por uma ilustração gráfica do templo, representando a cultura e a educação. (Este texto foi retirado daqui)

No âmbito do Concurso Maravilh'Arte 21, aqui ficam, em jeito de apresentação das candidatas às 7 Novas Maravilhas do Mundo, algumas impressões blogosféricas.
Nos Retratos de Viagens, Travelpeople explica-nos que:
Acrópole (do grego acro: alto, elevado – polis: cidade) é a parte da cidade construída nas partes mais altas do relevo da região. A posição tem tanto valor simbólico, elevar e enobrecer os valores humanos, como estratégico, pois dali podia ser melhor defendida. Era na acrópole das diversas cidades que se construíam as estruturas mais nobres, tais os templos e os palácios dos governantes. A acrópole grega original de Atenas ficou famosa pela construção do Partenon, suntuoso templo em honra à deusa Atena, ricamente construído em mármores raros e ornado com esculturas de Fídias por ordem de Péricles e com recursos originalmente destinados a patrocinar a guerra contra os Persas. A palavra acrópole tem sido usada em arqueologia e história para designar os centros das cidades antigas ou sítios arqueológicos onde se situam as principais estruturas arquitectónicas.
No Conversas, a Ace conta que:
Andava solta de blog em blog como costumo fazer e descobri que existe um site para votar novas “Maravilhas do Mundo”.
Como sou curiosa, lá fui eu espreitar e descobri que já estive a visitar duas dessas possíveis novas maravilhas.
Agora só me faltam as outras todas...
Só tenho pena que não tenham seleccionado nada português, mas quem sabe um dia o façam.
Por mim vou conhecendo as nossas riquezas em património ou história, tanto que ontem fui passear a Belém, revisitar a Torre de Belém, o Padrão dos Descobrimentos, o Jardim de frente ao Jeróminos, só faltou tempo para entrar...
Fica para outro dia.
Estive em Atenas este mês para participar numa conferência e aproveitei para visitar a Acrópole. Foi impressionante estar dentro de um eléctrico moderno com ar-condicionado no centro de uma capital europeia, moderna e movimentada como Atenas, e de repente ver as colunas magníficas duma construção milenar a dominar o centro da cidade.
Visto de longe, a estrutura parece bem conservada mas aproximando, subindo o rochedo, vê-se que o Parténon, o monumento principal deste grupo, está a ser alvo de um processo de recuperação profundo.


Comentários

Fatima Vinagre disse…
Não conheço Atenas, mas é dos contrastes que as culturas evoluem! Bj

Mensagens populares deste blogue

Mãos à Obra!!!

Quando o pai da I. esteve a explicar-nos "como se fazem casas" (post anterior) ofereceu-nos um presente! Vejam só...
Os tijolos, as telhas... tudo em miniatura mas em tijolo! O "cimento", a pá de pedreiro... É o máximo, não acham? Agora só faltava pôr "MÃOS À OBRA"! Foi o que fizémos! Depois de misturar o pó com a água ficámos com cimento e começámos a construir a nossa Quinta. Sim, é uma Quinta e tem um poço e até animais.Tijolo a tijolo a nossa Quinta vai crescendo! É preciso muito trabalho de equipa porque isto da Construção Civil é trabalho pesado!E quando quisermos "mudar de casa" basta pôr esta dentro de água e ficamos com tijolos para construir outra vez! Quando a nossa Quinta estiver pronta estão convidados para uma "visita", fica combinado!

O prazer de cuidar, ver crescer, cozinhar e partilhar

Na nossa horta nós aprendemos a prever, a planear, a observar, a regar e a cuidar, a medir, a contar, a pesquisar, a partilhar, a cooperar... 



(A semear alfaces e couves com um avô.)

(Sensibilização para proteger a horta.)

(Colheita de feijão verde e outros legumes para a nossa sopa.)

 (Cabaz da nossa horta para oferecer ao nossos amigos e parceiros educativos da Junta de Freguesia)

(As batatinhas assadas que estavam uma delícia!)
E na horta há sempre muito para fazer e aprender. E é tão bom!!! (Tão bom que até nos esquecemos de fotografar.)

Yoga e Teatro

Os Girassóis semanalmente fazem prática de Yoga Integral. Atravessamos a estrada do nosso JI e lá estamos nós, numa sala gentilmente cedida por um nosso amigo, a mergulhar no Planeta Mágico dos Animais do Yoga. 


O Yoga também faz parte do nosso quotidiano no jardim de infância, revela-se na forma como nos relacionamos com os outros e com a natureza. E agora também na nossa relação com as Artes. Após uma ida ao teatro, resolvemos fazer a nossa própria peça de teatro, criámos diálogos, escolhemos espaços, adereços e músicas. 

Criámos e recriámos as posturas que conhecemos do yoga, interpretámos pequenas sequências de movimentos de forma adequada e adequada a cada personagem e à temática. 

Estivemos a explorar o conceito de yoga-teatro. 

Convidámos os colegas das outras salas e apresentámos o nosso espetáculo. 

Brevemente iremos apresentá-lo numa sala de teatro, perto de nós. Mais um passo nesta experiência que nos leva a ter mais interesse pelo yoga, pelo teatro e a utilizar progressiv…