sábado, novembro 25, 2006

O Expresso das 13 horas e 50 minutos

Malas, sacos, portáteis... Tropas, alunos, professora...

A chuva cai com força! Nos vidros, frios, correm gotas... rápida ou lentamente...

Lá fora as cores de Outono pintaram a paisagem. Nos campos surgem pequenos riachos que descem até à estrada, agitados.

A neblina cerca-nos. Primeiro suave como o fumo de um cachimbo. Depois cerrada, sombria.

A noite cai. Escura. Fria.

O verde ficou para trás. As luzes aproximam-se. A agitação cresce...

O relógio faz tic-tac. Os automóveis acumulam-se, inertes, desprovidos da sua arte...

O olhar perscruta o conhecido, o desejado... e tic-tac... tic-tac...

Kronos não pára! Kronos não parou...

E o jantar das 21h foi o jantar das 22h!

Sem comentários: