Avançar para o conteúdo principal

O Machu Picchu no Maravilh'Arte 21

Machu Picchu (1460 - 1470) Machu Picchu, Peru


No século XV, o imperador inca Pachacutec edificou uma cidade nas nuvens, na montanha conhecida como Machu Picchu (“velha montanha”). Este extraordinário povoado está localizado no Planalto dos Andes, nas profundezas da floresta amazónica e acima do rio Urubamba. Abandonada pelos incas devido a um surto de varíola e após a derrota do Império Inca pelos espanhóis, a cidade foi considerada “perdida” durante mais de três séculos. Foi redescoberta por Hiram Bingham em 1911. (Este texto foi retirado daqui)


O Iuri Amazonas esteve lá e conta:
Nada melhor do que começar o blog com uma foto da melhor viagem que já fiz. Essa terra nos faz repensar tudo o que já vimos sobre arquitetura e nos mostra como a ganância dos homens pode fazer desaparecer um povo inteiro, com suas tradições, belezas e, principalmente, suas habilidades incompreedidas.



A Rainbow, no As Cores da Minha Vida diz que:
Um dos mais enigmáticos sítios arqueológicos do mundo. No Perú, esta cidade perdida dos Incas está localizada no topo de uma montanha e faz-nos sonhar com uma viagem à descoberta de ruínas, santuários e tradições visto que o seu passado é ainda um envolto de mistério. Também podem ser vistos lamas que no passado, terão sido juntamente com outros animais domésticos, sacrificados por sacerdotes para satisfação do deus do Sol.


E no Marazul, do José Eduardo Rocha lê-se:
Também no Peru, há um lugar mágico que deve ser conhecido. Chama-se Machu-Picchu. É o lugar mais mágico do planeta. Não há bons hoteis. apenas uma pensão razoável. Não é motivo para perder a viagem. Fica-se bem!


Este post é publicado no âmbito do concurso de desenho Maravilh'Arte 21.

Comentários

Machu Picchu, que lugar belo e enigmático...
Gostava tanto de lá ir!
Vai ao girassol, estás convidada para comer uma fatia de bolo...
Beijinho
Sapito disse…
Logo irei, logo irei!!
(começo a achar que não vou ter tempo para visitar tudo quanto queria! :) )

Mensagens populares deste blogue

Mãos à Obra!!!

Quando o pai da I. esteve a explicar-nos "como se fazem casas" (post anterior) ofereceu-nos um presente! Vejam só...
Os tijolos, as telhas... tudo em miniatura mas em tijolo! O "cimento", a pá de pedreiro... É o máximo, não acham? Agora só faltava pôr "MÃOS À OBRA"! Foi o que fizémos! Depois de misturar o pó com a água ficámos com cimento e começámos a construir a nossa Quinta. Sim, é uma Quinta e tem um poço e até animais.Tijolo a tijolo a nossa Quinta vai crescendo! É preciso muito trabalho de equipa porque isto da Construção Civil é trabalho pesado!E quando quisermos "mudar de casa" basta pôr esta dentro de água e ficamos com tijolos para construir outra vez! Quando a nossa Quinta estiver pronta estão convidados para uma "visita", fica combinado!

O prazer de cuidar, ver crescer, cozinhar e partilhar

Na nossa horta nós aprendemos a prever, a planear, a observar, a regar e a cuidar, a medir, a contar, a pesquisar, a partilhar, a cooperar... 



(A semear alfaces e couves com um avô.)

(Sensibilização para proteger a horta.)

(Colheita de feijão verde e outros legumes para a nossa sopa.)

 (Cabaz da nossa horta para oferecer ao nossos amigos e parceiros educativos da Junta de Freguesia)

(As batatinhas assadas que estavam uma delícia!)
E na horta há sempre muito para fazer e aprender. E é tão bom!!! (Tão bom que até nos esquecemos de fotografar.)

Yoga e Teatro

Os Girassóis semanalmente fazem prática de Yoga Integral. Atravessamos a estrada do nosso JI e lá estamos nós, numa sala gentilmente cedida por um nosso amigo, a mergulhar no Planeta Mágico dos Animais do Yoga. 


O Yoga também faz parte do nosso quotidiano no jardim de infância, revela-se na forma como nos relacionamos com os outros e com a natureza. E agora também na nossa relação com as Artes. Após uma ida ao teatro, resolvemos fazer a nossa própria peça de teatro, criámos diálogos, escolhemos espaços, adereços e músicas. 

Criámos e recriámos as posturas que conhecemos do yoga, interpretámos pequenas sequências de movimentos de forma adequada e adequada a cada personagem e à temática. 

Estivemos a explorar o conceito de yoga-teatro. 

Convidámos os colegas das outras salas e apresentámos o nosso espetáculo. 

Brevemente iremos apresentá-lo numa sala de teatro, perto de nós. Mais um passo nesta experiência que nos leva a ter mais interesse pelo yoga, pelo teatro e a utilizar progressiv…