Avançar para o conteúdo principal

Novas Páginas na Vida de uma Prof.

Poderia afirmar que vir trabalhar para Lamego foi o abrir de uma nova página na minha vida, com óbvias mudanças a nível profissional e pessoal (não é isto que se costuma dizer?!). Mas foi muito mais do que isso. Eu diria até que vou acrescentando novas páginas num capítulo que tem tido algum destaque nestas últimas semanas. Passo a explicar.

Depois de descobrir o uso efectivo de meias-calças por parte de grande parte da população feminina, de perceber que Lamego tem quelhos e alguns bem pitorescos... eis que me revelam uma razão para prolongar a minha estadia em Lamego durante mais tempo do que possa imaginar. E a razão?! (o renovar do contrato não era mal pensado!).

A razão apontada é o hipotético aparecimento de um laracho, quando menos esperar.
"Um quê?!" (exclamei!)
"Eu lá quero que esse nome estranho apareça na minha vida! Ainda mais sem eu esperar?!!!!" (pensei)

E perante os sorrisos divertidíssimos de quem já aqui está há mais tempo do que eu, lá me explicaram...
"Oh professora... um laracho é um rapaz ou um homem lamecense. Pode ser que encontre um e fique por aqui em Lamego..."

E eu, que faço logo o filme todo, já estava a imaginar-me a viver aqui no meio das ovelhas, de enchada na mão, de bibe aos quadradinhos, meias e chinelas, e a chamar:
"Oh Manéli!... Bem comere que a sopa está ficando fria! Oubistee?!"

E no capítulo "palavras novas que não vou esquecer" surge:
meias-calças = collants
quelhos = ruas estreitas
laracho = rapaz/homem lamecense

Comentários

Dona Di disse…
a saber não ocupa lugar...é semre bom enriquecermos o nosso vocabulario!!!!
Rute disse…
Dona Di

Que prazer ter-te por cá! Acho que o meu vocabulário ainda vai ficar mais extenso! Ainda tenho muito que aprender em terras lamecences! Volta sempre!
Sapito disse…
Também me parece que há muito mais para aprender...o norte tem essa tendência- alarga-nos o horizonte!! :)

Mensagens populares deste blogue

Mãos à Obra!!!

Quando o pai da I. esteve a explicar-nos "como se fazem casas" (post anterior) ofereceu-nos um presente! Vejam só...
Os tijolos, as telhas... tudo em miniatura mas em tijolo! O "cimento", a pá de pedreiro... É o máximo, não acham? Agora só faltava pôr "MÃOS À OBRA"! Foi o que fizémos! Depois de misturar o pó com a água ficámos com cimento e começámos a construir a nossa Quinta. Sim, é uma Quinta e tem um poço e até animais.Tijolo a tijolo a nossa Quinta vai crescendo! É preciso muito trabalho de equipa porque isto da Construção Civil é trabalho pesado!E quando quisermos "mudar de casa" basta pôr esta dentro de água e ficamos com tijolos para construir outra vez! Quando a nossa Quinta estiver pronta estão convidados para uma "visita", fica combinado!

O prazer de cuidar, ver crescer, cozinhar e partilhar

Na nossa horta nós aprendemos a prever, a planear, a observar, a regar e a cuidar, a medir, a contar, a pesquisar, a partilhar, a cooperar... 



(A semear alfaces e couves com um avô.)

(Sensibilização para proteger a horta.)

(Colheita de feijão verde e outros legumes para a nossa sopa.)

 (Cabaz da nossa horta para oferecer ao nossos amigos e parceiros educativos da Junta de Freguesia)

(As batatinhas assadas que estavam uma delícia!)
E na horta há sempre muito para fazer e aprender. E é tão bom!!! (Tão bom que até nos esquecemos de fotografar.)

Yoga e Teatro

Os Girassóis semanalmente fazem prática de Yoga Integral. Atravessamos a estrada do nosso JI e lá estamos nós, numa sala gentilmente cedida por um nosso amigo, a mergulhar no Planeta Mágico dos Animais do Yoga. 


O Yoga também faz parte do nosso quotidiano no jardim de infância, revela-se na forma como nos relacionamos com os outros e com a natureza. E agora também na nossa relação com as Artes. Após uma ida ao teatro, resolvemos fazer a nossa própria peça de teatro, criámos diálogos, escolhemos espaços, adereços e músicas. 

Criámos e recriámos as posturas que conhecemos do yoga, interpretámos pequenas sequências de movimentos de forma adequada e adequada a cada personagem e à temática. 

Estivemos a explorar o conceito de yoga-teatro. 

Convidámos os colegas das outras salas e apresentámos o nosso espetáculo. 

Brevemente iremos apresentá-lo numa sala de teatro, perto de nós. Mais um passo nesta experiência que nos leva a ter mais interesse pelo yoga, pelo teatro e a utilizar progressiv…