Avançar para o conteúdo principal

mas hoje é segunda-feira!!!

Quando quero chamar Tomás e digo Guilherme.
Quando quero dizer Tiago e chamo pelo Diogo.
Quando falo para a Mariana e lhe chamo Sara.
Quando digo Raquel em vez de Matilde.

Isso é... cansaço.
Isso dá direito a uma série de exclamações vindas do outro lado que vão crescendo até serem ouvidas em uníssono!!!

Hoje foi um dia desses.
Hoje foi o dia em que acabei por dizer:
"Vocês já sabem que às vezes troco os nomes todos... o que hei-de fazer?! Mas pensem lá um bocadinho... vocês às vezes também me chamam... mãe!... avó!... tia!... pai!..."

E a gargalhada foi em uníssono!
E de todos os nomes, Pai era aquele que não podia ser mesmo!! A discussão (saudável) instalou-se:

"A Rute não pode ser pai!" - diziam uns.
"Pois não!" - diziam outros.
"A Rute é mãe!" - voltaram a dizer.
"Não! A Rute ainda não tem filhos!" - responderam uns quantos.
"Pois não! Mas vai ter!" - disseram outros.
"Pois!" - disseram quase todos.
"Já tem um bébé na barriga!" - disse uma voz lá do fundo.
"Não tem nada!" - disseram muitas vozes (incluindo a minha!)
"Ainda é minhoca!" - voltou a mesma voz a dizer.
"Hã?!!!" - Ouviu-se em uníssono na sala.
"Não é nada..." - Disse uma voz baixinho.
"Hummm... um dia falamos sobre essas coisas. Agora vamos voltar ao que estavamos a falar porque senão não conseguimos fazer tantos projectos e actividades ao mesmo tempo e amanhã é a reunião de pais" - disse eu.

Pois... posso ter "cortado" um assunto importante de ser esclarecido/debatido. Mas o educador também tem de gerir e canalizar as atenções e os projectos.

Para já estamos a braços com um projecto de História de Portugal; queremos encontrar respostas para umas questões que surgiram sobre a lua e vamos pedir ajuda aos colegas da outra sala que estão a fazer um projecto sobre os planetas; também estamos a investir em actividades sobre o corpo humano (ora cá está uma das raízes do assunto) porque há meninos que ainda não desenham bem a figura humana; estamos a preparar a reunião de pais...

Simplesmente não há tempo para conseguir fazer tudo... já! Mas, já conheço o grupo que tenho e de certo que se esta questão surgiu então há-de amadurecer, voltar à conversa e ao debate. Nessa altura trataremos do assunto!

Hummm... e acho que é melhor ir inscrever-me no ginásio!!!

Comentários

E eu a pensar que só eu é que troco os nomes. Afinal não estou só neste mundo de trocas. estou mais descansada e meis feliz!
Luz

Mensagens populares deste blogue

Mãos à Obra!!!

Quando o pai da I. esteve a explicar-nos "como se fazem casas" (post anterior) ofereceu-nos um presente! Vejam só...
Os tijolos, as telhas... tudo em miniatura mas em tijolo! O "cimento", a pá de pedreiro... É o máximo, não acham? Agora só faltava pôr "MÃOS À OBRA"! Foi o que fizémos! Depois de misturar o pó com a água ficámos com cimento e começámos a construir a nossa Quinta. Sim, é uma Quinta e tem um poço e até animais.Tijolo a tijolo a nossa Quinta vai crescendo! É preciso muito trabalho de equipa porque isto da Construção Civil é trabalho pesado!E quando quisermos "mudar de casa" basta pôr esta dentro de água e ficamos com tijolos para construir outra vez! Quando a nossa Quinta estiver pronta estão convidados para uma "visita", fica combinado!

O prazer de cuidar, ver crescer, cozinhar e partilhar

Na nossa horta nós aprendemos a prever, a planear, a observar, a regar e a cuidar, a medir, a contar, a pesquisar, a partilhar, a cooperar... 



(A semear alfaces e couves com um avô.)

(Sensibilização para proteger a horta.)

(Colheita de feijão verde e outros legumes para a nossa sopa.)

 (Cabaz da nossa horta para oferecer ao nossos amigos e parceiros educativos da Junta de Freguesia)

(As batatinhas assadas que estavam uma delícia!)
E na horta há sempre muito para fazer e aprender. E é tão bom!!! (Tão bom que até nos esquecemos de fotografar.)

Coisas de Crescidos...

Temporariamente em modo de "crescida" e afastada do jardim... mas não por muito tempo! Até já.