Avançar para o conteúdo principal

Época Natalícia



Já chegou a azáfama. Quer queiramos quer não atinge-nos como se de uma avalanche se tratasse.

São os ensaios para a Festa de Natal com as Famílias, mais a lembrança para as crianças oferecerem, e a árvore de Natal Reciclada que não queremos deixar de fazer... ah! e a carta ao Pai Natal pois mesmo sabendo que nem sempre se "portam bem" pedem-lhe com um "se faz favor" o brinquedo desejado e agradecem antecipadamente: "obrigado".

É assim que andamos, nesta gestão desenfreada do tempo, dos desejos, do apelo ao não consumismo e ao enfatizar dos sentimentos do afecto.

O consumismo natalício é presenciado e referido nas conversas das crianças... mas porque é que é Natal?! O que é o Natal?! Pergunta muito difícil, mesmo! Temos que os ajudar a encontrar outras respostas que não incluam apenas e exclusivamente Prendas e pedidos ao Pai Natal... temos, mesmo!

Comentários

Olá Rute,
Tens toda a razão, para além das aparências, do "material", é necessário incutir nas crianças a preocupação pelo seu semelhante, por todos aqueles que têm menos do que elas têm a sorte de ter!
Claro que há coisas incontornáveis... mas podem sempre ser olhadas de uma outra forma, tal como fazes aqui, no jardim das cores.
Para mim é uma outra forma (muito simples e muito rica) de olhar aquilo que de melhor se faz em educação de infância.
Parabéns e continuaçãod e bom trabalho.

Bjs, Juca e Sala Fixe
Parabens, e como voce penso que se deve dizer as crianças o que realmente é o Natal, não´são as prendas mas o amor que dedicamos quando fazemos uma prenda é que conta, além disso digo aoa meus pequeninos que o Natal é o Nascimento do Menino Jesus e que as prendas são trazidas por ele ou pelo Pai Natal que é o ajudante do Menino Jesus, pondo o Pai Natl em segundo plano, mas sem perder a sua magia, mas a bondade vem do Menino Jesus que quer partilhar as suas prendas com todas as crianças do mundo. Penso que assim conseguimos conjugar a magia do Natal com o verdadeiro Natl. Beijinhos Vera Ribeiro - Sala Laranja CIJ Sta Casa misericórdia de Oliveira do Bairro

Mensagens populares deste blogue

Mãos à Obra!!!

Quando o pai da I. esteve a explicar-nos "como se fazem casas" (post anterior) ofereceu-nos um presente! Vejam só...
Os tijolos, as telhas... tudo em miniatura mas em tijolo! O "cimento", a pá de pedreiro... É o máximo, não acham? Agora só faltava pôr "MÃOS À OBRA"! Foi o que fizémos! Depois de misturar o pó com a água ficámos com cimento e começámos a construir a nossa Quinta. Sim, é uma Quinta e tem um poço e até animais.Tijolo a tijolo a nossa Quinta vai crescendo! É preciso muito trabalho de equipa porque isto da Construção Civil é trabalho pesado!E quando quisermos "mudar de casa" basta pôr esta dentro de água e ficamos com tijolos para construir outra vez! Quando a nossa Quinta estiver pronta estão convidados para uma "visita", fica combinado!

O prazer de cuidar, ver crescer, cozinhar e partilhar

Na nossa horta nós aprendemos a prever, a planear, a observar, a regar e a cuidar, a medir, a contar, a pesquisar, a partilhar, a cooperar... 



(A semear alfaces e couves com um avô.)

(Sensibilização para proteger a horta.)

(Colheita de feijão verde e outros legumes para a nossa sopa.)

 (Cabaz da nossa horta para oferecer ao nossos amigos e parceiros educativos da Junta de Freguesia)

(As batatinhas assadas que estavam uma delícia!)
E na horta há sempre muito para fazer e aprender. E é tão bom!!! (Tão bom que até nos esquecemos de fotografar.)

Yoga e Teatro

Os Girassóis semanalmente fazem prática de Yoga Integral. Atravessamos a estrada do nosso JI e lá estamos nós, numa sala gentilmente cedida por um nosso amigo, a mergulhar no Planeta Mágico dos Animais do Yoga. 


O Yoga também faz parte do nosso quotidiano no jardim de infância, revela-se na forma como nos relacionamos com os outros e com a natureza. E agora também na nossa relação com as Artes. Após uma ida ao teatro, resolvemos fazer a nossa própria peça de teatro, criámos diálogos, escolhemos espaços, adereços e músicas. 

Criámos e recriámos as posturas que conhecemos do yoga, interpretámos pequenas sequências de movimentos de forma adequada e adequada a cada personagem e à temática. 

Estivemos a explorar o conceito de yoga-teatro. 

Convidámos os colegas das outras salas e apresentámos o nosso espetáculo. 

Brevemente iremos apresentá-lo numa sala de teatro, perto de nós. Mais um passo nesta experiência que nos leva a ter mais interesse pelo yoga, pelo teatro e a utilizar progressiv…