Avançar para o conteúdo principal

Biblioteca para Criancas ou Biblioteca das Crianças?!


Hoje estive na secção infantil da Biblioteca Municipal de Oeiras. Há já algum tempo que não ía passear pelas prateleiras e ver as novidades para ler às minhas crianças de jardim de infância e, por isso, encontrei alguns títulos que me despertaram o interesse.

Estava eu, adulta de quase trinta anos e 1m 70cm de altura, junto a uma prateleira, sentada no chão, a folhear o livro Xico (da editora Kalandraca) quando uma criança de 7 ou 8 anos veio ter comigo e disse: "estás a ler esse livro? Desse vais gostar de certeza. É bom". E eu respondi-lhe: "Ainda bem que me dizes isso. Eu sou educadora de infância e estou a escolher um livro para amanhã ler às minhas crianças."

A criança levantou-se, dirigiu-se à prateleira seguinte e voltou com outro livro. "Leva este. Este é dos patinhos e quando se abre saiem as coisas." - disse a menina mostrando-me um livro a 3 dimensões, reconhecidamente destinado a crianças mais novas. Olhei o livro e vendo que estava rasgado, referi-lhe que faltava um dos patos. Então, foi à procura de um outro livro. Entretanto encontrei O Lobo Culto e perguntei-lhe se ela conhecia aquele e o que achava. Respondeu-me que aquele era um bocado estranho (portanto não era indicado).

Continuei à procura e a criança também. Perguntou-me se as minhas crianças gostavam da história da Branca de Neve. Respondi-lhe que sim e foi à procura do referido livro. Entretanto, perguntei-lhe se sabia quantos livros podia levar para casa. Respondeu-me que deviam ser 2. Como eu tinha 3 disse-lhe que tinha que ir escolher. Disse-me que se calhar podia levar os que quisesse. Fui perguntar à bibliotecária. Afinal podia levar 5. Óptimo! A criança voltou então às suas leituras.

Num espaço reconhecidamente destinado às crianças eu era a pessoa adulta que precisava da orientação de alguém que reconhece o espaço da biblioteca como seu e para quem os livros desvendam segredos à medida que se cresce com eles. Não podia ter tido melhor guia.

Comentários

Rita disse…
Este texto está fabuloso:)
Rute disse…
Oi! Que bom encontrar-te aqui. Adorei este meu encontro na biblioteca e não podia deixar de partilhá-lo.
engracados disse…
...e obrigada pela partilha Rute.Vivenciar estas situações é delicioso, mas ter a sensibilidade de as reconhecer como importantes e a capacidade de as passar à escrita (ia escrever "a papel",rsrs) é não só bom para o próprio mas uma mais valia para quem lê.
Obrigada também pela visita lá pelo nosso estaminé. Volta quando quiseres :)
Anónimo disse…
I say briefly: Best! Useful information. Good job guys.
»

Mensagens populares deste blogue

Mãos à Obra!!!

Quando o pai da I. esteve a explicar-nos "como se fazem casas" (post anterior) ofereceu-nos um presente! Vejam só...
Os tijolos, as telhas... tudo em miniatura mas em tijolo! O "cimento", a pá de pedreiro... É o máximo, não acham? Agora só faltava pôr "MÃOS À OBRA"! Foi o que fizémos! Depois de misturar o pó com a água ficámos com cimento e começámos a construir a nossa Quinta. Sim, é uma Quinta e tem um poço e até animais.Tijolo a tijolo a nossa Quinta vai crescendo! É preciso muito trabalho de equipa porque isto da Construção Civil é trabalho pesado!E quando quisermos "mudar de casa" basta pôr esta dentro de água e ficamos com tijolos para construir outra vez! Quando a nossa Quinta estiver pronta estão convidados para uma "visita", fica combinado!

Coisas de Crescidos...

Temporariamente em modo de "crescida" e afastada do jardim... mas não por muito tempo! Até já.

Dêem voz às crianças

Um artigo muito interessante, de leitura breve e bem actual.

The Disturbing Transformation of Kindergarten