Avançar para o conteúdo principal

Obrigado Matilde Rosa Araújo

A Matilde Rosa Araújo esteve na Feira do Livro do Jardim de Infância onde trabalho. As crianças ansiavam por conhecer a senhora que tinha escrito a história que eles tanto gostavam ("O Capuchinho Cinzento") e apenas sabendo que ela tinha nascido em 1921 eis como a imaginaram: "já é avó, tem óculos, tem cabelo branco ou cinzento, tem bengala, tem mãos murchas, tem unhas pintadas e olhos pintados, gosta de escrever e achamos que é professora de adultos (ensina a escrever livros)".

Quando a Matilde chegou junto de nós bateram palmas e gritaram "Matilde! Matilde!". A descrição que haviam feito da escritora estava muito perto da realidade. A simpatia irradiava da oitencenária senhora que simpáticamente se havia deslocado ao nosso espaço. Cantaram-se canções adaptadas aos seus poemas, leu-se poesia, fizeram-se perguntas que foram respondidas com toda a atenção e também a poetisa nos brindou com a leitura de uma obra sua e com o seu autógrafo.

Ainda tive tempo para lhe contar o que as crianças haviam dito do seu livro "O Capuchinho Cinzento" e quando lhe referi que várias crianças me haviam dito que o Capuchinho Cinzento não era o Capuchinho Vermelho porque este não crescia, era sempre criança, ela olhou-me nos olhos e respondeu "E talvez tenham razão...".


Um Muito Obrigado à Matilde Rosa Araújo pelo carinho e pelo momento inesquecível em que também eu continuei criança, a ouvir os seus poemas e à espera de um autógrafo e de um beijinho.

Pode consultar a Autobiografia de Matilde Rosa Araújo no último JL (parcialmente online).

Comentários

Anónimo disse…
Hallo I absolutely adore your site. You have beautiful graphics I have ever seen.
»

Mensagens populares deste blogue

Mãos à Obra!!!

Quando o pai da I. esteve a explicar-nos "como se fazem casas" (post anterior) ofereceu-nos um presente! Vejam só...
Os tijolos, as telhas... tudo em miniatura mas em tijolo! O "cimento", a pá de pedreiro... É o máximo, não acham? Agora só faltava pôr "MÃOS À OBRA"! Foi o que fizémos! Depois de misturar o pó com a água ficámos com cimento e começámos a construir a nossa Quinta. Sim, é uma Quinta e tem um poço e até animais.Tijolo a tijolo a nossa Quinta vai crescendo! É preciso muito trabalho de equipa porque isto da Construção Civil é trabalho pesado!E quando quisermos "mudar de casa" basta pôr esta dentro de água e ficamos com tijolos para construir outra vez! Quando a nossa Quinta estiver pronta estão convidados para uma "visita", fica combinado!

O prazer de cuidar, ver crescer, cozinhar e partilhar

Na nossa horta nós aprendemos a prever, a planear, a observar, a regar e a cuidar, a medir, a contar, a pesquisar, a partilhar, a cooperar... 



(A semear alfaces e couves com um avô.)

(Sensibilização para proteger a horta.)

(Colheita de feijão verde e outros legumes para a nossa sopa.)

 (Cabaz da nossa horta para oferecer ao nossos amigos e parceiros educativos da Junta de Freguesia)

(As batatinhas assadas que estavam uma delícia!)
E na horta há sempre muito para fazer e aprender. E é tão bom!!! (Tão bom que até nos esquecemos de fotografar.)

Coisas de Crescidos...

Temporariamente em modo de "crescida" e afastada do jardim... mas não por muito tempo! Até já.