Avançar para o conteúdo principal

A Estátua da Liberdade no Maravilh'Arte 21

Estátua da Liberdade (1886) Nova Iorque, E.U.A.


A Estátua da Liberdade foi um presente oferecido pelo governo francês aos Estados Unidos em honra dos ideais da liberdade e da independência. Constituiu um gesto antecipado de generosidade nacional. Esta enorme estátua tornou-se o símbolo da esperança e da liberdade para muitas centenas de milhões de pessoas que emigraram para os Estados Unidos durante o século XX em busca de uma nova vida em paz e com prosperidade. É também a candidata às Novas 7 Maravilhas que mais se assemelha a uma das Antigas 7 Maravilhas – O Colosso de Rodes. (Este texto foi retirado daqui).

Aqui ficam algumas impressões blogosféricas acerca desta candidata a uma das 7 Novas Maravilhas do Mundo.

Especialmente para as Crianças aqui.


N'O Metarmofose Digital, Luisão refere:
Em 1983, David Coperfield fez desaparecer ao vivo e através da televisão a Estátua da Liberdade. Abaixo o vídeo desse surpreendente show que deu volta ao mundo.


E no Solas na Mesa, podemos ler:
À margem da grande cidade, a estátua da liberdade vive a reforma dos seus anos dourados. As vagas de emigrantes afluem agora aos Estados Unidos por avião, em balsas ou a pé através do deserto e a estátua é um ponto turístico com (muitas) lojas de recuerdos.
A estátua representa uma era em que os sonhos de liberdade e de progresso passavam quase todos pelo território que ali começa. Fará hoje sentido continuar ali?



Já no Olho Pimpolho , o Óscar conta:

Cada coisa que a gente desaprende na Internet:

No site brazilbrazil.com há uma página dedicada à história da troca temporária das duas principais estátuas do mundo, supostamente ocorrida no ano de 1963. Tanto a estátua da Liberdade quanto a do Cristo Redentor teriam sido desmontadas e trocadas como uma forma de “política de boa vizinhança” entre os dois países.Curiosamente, após a destroca (a da Liberdade era muito “gorda” para caber no nosso pedestal), o Cristo Redentor “girou” 180º (conforme mostra a foto no site).Se não vale pela bobagem, vale dar uma conferida nos cartuns do Cristo Redentor (da série “rir para não chorar” com nossas desgraças).

Este post é publicado no âmbito do concurso de desenho Maravilh'Arte 21.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Mãos à Obra!!!

Quando o pai da I. esteve a explicar-nos "como se fazem casas" (post anterior) ofereceu-nos um presente! Vejam só...
Os tijolos, as telhas... tudo em miniatura mas em tijolo! O "cimento", a pá de pedreiro... É o máximo, não acham? Agora só faltava pôr "MÃOS À OBRA"! Foi o que fizémos! Depois de misturar o pó com a água ficámos com cimento e começámos a construir a nossa Quinta. Sim, é uma Quinta e tem um poço e até animais.Tijolo a tijolo a nossa Quinta vai crescendo! É preciso muito trabalho de equipa porque isto da Construção Civil é trabalho pesado!E quando quisermos "mudar de casa" basta pôr esta dentro de água e ficamos com tijolos para construir outra vez! Quando a nossa Quinta estiver pronta estão convidados para uma "visita", fica combinado!

O prazer de cuidar, ver crescer, cozinhar e partilhar

Na nossa horta nós aprendemos a prever, a planear, a observar, a regar e a cuidar, a medir, a contar, a pesquisar, a partilhar, a cooperar... 



(A semear alfaces e couves com um avô.)

(Sensibilização para proteger a horta.)

(Colheita de feijão verde e outros legumes para a nossa sopa.)

 (Cabaz da nossa horta para oferecer ao nossos amigos e parceiros educativos da Junta de Freguesia)

(As batatinhas assadas que estavam uma delícia!)
E na horta há sempre muito para fazer e aprender. E é tão bom!!! (Tão bom que até nos esquecemos de fotografar.)

Yoga e Teatro

Os Girassóis semanalmente fazem prática de Yoga Integral. Atravessamos a estrada do nosso JI e lá estamos nós, numa sala gentilmente cedida por um nosso amigo, a mergulhar no Planeta Mágico dos Animais do Yoga. 


O Yoga também faz parte do nosso quotidiano no jardim de infância, revela-se na forma como nos relacionamos com os outros e com a natureza. E agora também na nossa relação com as Artes. Após uma ida ao teatro, resolvemos fazer a nossa própria peça de teatro, criámos diálogos, escolhemos espaços, adereços e músicas. 

Criámos e recriámos as posturas que conhecemos do yoga, interpretámos pequenas sequências de movimentos de forma adequada e adequada a cada personagem e à temática. 

Estivemos a explorar o conceito de yoga-teatro. 

Convidámos os colegas das outras salas e apresentámos o nosso espetáculo. 

Brevemente iremos apresentá-lo numa sala de teatro, perto de nós. Mais um passo nesta experiência que nos leva a ter mais interesse pelo yoga, pelo teatro e a utilizar progressiv…