sábado, fevereiro 27, 2010

Experiências de Papel

A visita ao Palácio de Queluz trouxe a vontade de fazer leques de papel iguais aos que tinham sido lá oferecidos. A técnica aprimorou-se, surgiram outros modelos e as princesas da sala disputavam o leque mais colorido!

Por seu lado, alguns princípes da sala empenharam-se na construção de velozes aviões que de tanto voar até chegaram a ficar presos no tecto da sala, sendo necessário uma maior imposição da controladora de tráfego aéreo (habitualmente conhecida como educadora).


As caravelas e as naus trouxeram à conversa os barcos de papel e a vontade de aprender a fazê-los e experimentar as técnicas de navegação necessárias para que o barco não se afunde.

Aliás, se uns navegadores pensavam que os barcos se iam afundar, outros eram de opinião que os barcos iriam rasgar-se ou desmanchar-se. Por sua vez, os mais incrédulos achavam que não ia acontecer nada.

Depois de cada um ter construído o seu barco, seguiu-se a experimentação. Qual Cabo das Tormentas, alguns barcos passaram algumas dificudades devido a rajadas de vento forte que se fizeram sentir durante breves momentos.

As conclusões não se fizeram esperar: o barco flutuou na água, o papel ficou molhado mas não se desfez e os barcos que tinham desenhos feitos com caneta de feltro largaram cor.


2 comentários:

Juca disse...

Olá Rute!

Com que então agora também és controladora do tráfego aéreo, não?
Isto do origami, olha só no que foi dar... é mesmo assim, com os mais pequenos começamos mas nunca sabemos onde vamos ter!
Belas descobertas...
Bjs, Juca

rute moura disse...

JUCA: Nunca sabemos onde vamos ter... é bem verdade! E isto de ser Educadora tem destas vantagens de experimentar "outras profissões", a de controladora de tráfego aéreo ainda não tinha experimentado!!! lol

bjs