Avançar para o conteúdo principal

Experiências de Papel

A visita ao Palácio de Queluz trouxe a vontade de fazer leques de papel iguais aos que tinham sido lá oferecidos. A técnica aprimorou-se, surgiram outros modelos e as princesas da sala disputavam o leque mais colorido!

Por seu lado, alguns princípes da sala empenharam-se na construção de velozes aviões que de tanto voar até chegaram a ficar presos no tecto da sala, sendo necessário uma maior imposição da controladora de tráfego aéreo (habitualmente conhecida como educadora).


As caravelas e as naus trouxeram à conversa os barcos de papel e a vontade de aprender a fazê-los e experimentar as técnicas de navegação necessárias para que o barco não se afunde.

Aliás, se uns navegadores pensavam que os barcos se iam afundar, outros eram de opinião que os barcos iriam rasgar-se ou desmanchar-se. Por sua vez, os mais incrédulos achavam que não ia acontecer nada.

Depois de cada um ter construído o seu barco, seguiu-se a experimentação. Qual Cabo das Tormentas, alguns barcos passaram algumas dificudades devido a rajadas de vento forte que se fizeram sentir durante breves momentos.

As conclusões não se fizeram esperar: o barco flutuou na água, o papel ficou molhado mas não se desfez e os barcos que tinham desenhos feitos com caneta de feltro largaram cor.


Comentários

Juca disse…
Olá Rute!

Com que então agora também és controladora do tráfego aéreo, não?
Isto do origami, olha só no que foi dar... é mesmo assim, com os mais pequenos começamos mas nunca sabemos onde vamos ter!
Belas descobertas...
Bjs, Juca
rute moura disse…
JUCA: Nunca sabemos onde vamos ter... é bem verdade! E isto de ser Educadora tem destas vantagens de experimentar "outras profissões", a de controladora de tráfego aéreo ainda não tinha experimentado!!! lol

bjs

Mensagens populares deste blogue

Mãos à Obra!!!

Quando o pai da I. esteve a explicar-nos "como se fazem casas" (post anterior) ofereceu-nos um presente! Vejam só...
Os tijolos, as telhas... tudo em miniatura mas em tijolo! O "cimento", a pá de pedreiro... É o máximo, não acham? Agora só faltava pôr "MÃOS À OBRA"! Foi o que fizémos! Depois de misturar o pó com a água ficámos com cimento e começámos a construir a nossa Quinta. Sim, é uma Quinta e tem um poço e até animais.Tijolo a tijolo a nossa Quinta vai crescendo! É preciso muito trabalho de equipa porque isto da Construção Civil é trabalho pesado!E quando quisermos "mudar de casa" basta pôr esta dentro de água e ficamos com tijolos para construir outra vez! Quando a nossa Quinta estiver pronta estão convidados para uma "visita", fica combinado!

O prazer de cuidar, ver crescer, cozinhar e partilhar

Na nossa horta nós aprendemos a prever, a planear, a observar, a regar e a cuidar, a medir, a contar, a pesquisar, a partilhar, a cooperar... 



(A semear alfaces e couves com um avô.)

(Sensibilização para proteger a horta.)

(Colheita de feijão verde e outros legumes para a nossa sopa.)

 (Cabaz da nossa horta para oferecer ao nossos amigos e parceiros educativos da Junta de Freguesia)

(As batatinhas assadas que estavam uma delícia!)
E na horta há sempre muito para fazer e aprender. E é tão bom!!! (Tão bom que até nos esquecemos de fotografar.)

Yoga e Teatro

Os Girassóis semanalmente fazem prática de Yoga Integral. Atravessamos a estrada do nosso JI e lá estamos nós, numa sala gentilmente cedida por um nosso amigo, a mergulhar no Planeta Mágico dos Animais do Yoga. 


O Yoga também faz parte do nosso quotidiano no jardim de infância, revela-se na forma como nos relacionamos com os outros e com a natureza. E agora também na nossa relação com as Artes. Após uma ida ao teatro, resolvemos fazer a nossa própria peça de teatro, criámos diálogos, escolhemos espaços, adereços e músicas. 

Criámos e recriámos as posturas que conhecemos do yoga, interpretámos pequenas sequências de movimentos de forma adequada e adequada a cada personagem e à temática. 

Estivemos a explorar o conceito de yoga-teatro. 

Convidámos os colegas das outras salas e apresentámos o nosso espetáculo. 

Brevemente iremos apresentá-lo numa sala de teatro, perto de nós. Mais um passo nesta experiência que nos leva a ter mais interesse pelo yoga, pelo teatro e a utilizar progressiv…