Avançar para o conteúdo principal

És mesmo assim...


Tocas-me o rosto suavemente e acaricias os meus cabelos. Falas-me de mansinho ao ouvido quando caminho por entre a multidão ou quando caminho sozinha. Acompanhas os meus passos apressados quando mais ninguém parece fazê-lo.


Mas por vezes mudas de comportamento e foi o que aconteceu nestes últimos dias. As tuas carícias são mais bruscas. Insistes em demostrar a tua força, em contrariar o meu andar. Deixas-me fria e de lágrimas nos olhos. Acordas-me durante a noite quando assobias à minha janela e agitas os pinheiros. Mexes comigo, com o meu temperamento...


Mas... o que posso fazer?! És mesmo assim, não és... vento?!

Comentários

pitanga disse…
Gosto de ouvir o vento quando estou deitada. Mas que seja um vento moderado, que passa levando tristezas para longe e trazendo esperança de um novo dia.

beijos
Sapito disse…
Eu amooo o vento..senti-lo naca, lutar contra ele na rua...mas numa coisa tens razão, etsa semana tem estado forte! Tive que voltar a colocar as pedrinhas nos bolsos para poder manter pezinhos no chão! :)
Rui Luís Lima disse…
olá

se gostas de cinema vem visitar-nos em

www.paixoesedesejos.blogspot.com

todos os dias falamos de um filme diferente

paula e rui lima
Ivo disse…
Esse «amigo» que em muitas situações se torna incomodativo... e parece não querer que a sua colega Primavera, se inicie em todo o explendor!!

Bj
pitanga disse…
Bom, parece que ele já se foi. Pelo menos aqui.

beijinhos
Rute disse…
É bom ouvir o vento PITANGA e as suas carícias voltaram a ser suaves.

SAPITO às vezes parece que andamos sem os pés no chão mesmo quando não há vento. Será que essa técnica das pedrinhas funciona nessas situações?! :P

Gosto muito de cinema RUI por isso passarei lá com certeza (pode ser que assim passe a lembrar-me mais vezes dos filmes que já vi!).

Hummmm mesmo assim a Primavera já vai dando ar de sua graça, IVO. Descobri umas magnólias liiiiiiiidas!

Beijinhos para todos!

Mensagens populares deste blogue

Mãos à Obra!!!

Quando o pai da I. esteve a explicar-nos "como se fazem casas" (post anterior) ofereceu-nos um presente! Vejam só...
Os tijolos, as telhas... tudo em miniatura mas em tijolo! O "cimento", a pá de pedreiro... É o máximo, não acham? Agora só faltava pôr "MÃOS À OBRA"! Foi o que fizémos! Depois de misturar o pó com a água ficámos com cimento e começámos a construir a nossa Quinta. Sim, é uma Quinta e tem um poço e até animais.Tijolo a tijolo a nossa Quinta vai crescendo! É preciso muito trabalho de equipa porque isto da Construção Civil é trabalho pesado!E quando quisermos "mudar de casa" basta pôr esta dentro de água e ficamos com tijolos para construir outra vez! Quando a nossa Quinta estiver pronta estão convidados para uma "visita", fica combinado!

O prazer de cuidar, ver crescer, cozinhar e partilhar

Na nossa horta nós aprendemos a prever, a planear, a observar, a regar e a cuidar, a medir, a contar, a pesquisar, a partilhar, a cooperar... 



(A semear alfaces e couves com um avô.)

(Sensibilização para proteger a horta.)

(Colheita de feijão verde e outros legumes para a nossa sopa.)

 (Cabaz da nossa horta para oferecer ao nossos amigos e parceiros educativos da Junta de Freguesia)

(As batatinhas assadas que estavam uma delícia!)
E na horta há sempre muito para fazer e aprender. E é tão bom!!! (Tão bom que até nos esquecemos de fotografar.)

Yoga e Teatro

Os Girassóis semanalmente fazem prática de Yoga Integral. Atravessamos a estrada do nosso JI e lá estamos nós, numa sala gentilmente cedida por um nosso amigo, a mergulhar no Planeta Mágico dos Animais do Yoga. 


O Yoga também faz parte do nosso quotidiano no jardim de infância, revela-se na forma como nos relacionamos com os outros e com a natureza. E agora também na nossa relação com as Artes. Após uma ida ao teatro, resolvemos fazer a nossa própria peça de teatro, criámos diálogos, escolhemos espaços, adereços e músicas. 

Criámos e recriámos as posturas que conhecemos do yoga, interpretámos pequenas sequências de movimentos de forma adequada e adequada a cada personagem e à temática. 

Estivemos a explorar o conceito de yoga-teatro. 

Convidámos os colegas das outras salas e apresentámos o nosso espetáculo. 

Brevemente iremos apresentá-lo numa sala de teatro, perto de nós. Mais um passo nesta experiência que nos leva a ter mais interesse pelo yoga, pelo teatro e a utilizar progressiv…