Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2010

(breves) apontamentos

Com pouco tempo, vontade ou o que quer que seja para escrever, pelos motivos que poderia nomear ou inventar, ficam apenas dois breves apontamentos.
Primeiro: Fomos visitar a Fragata D. Fernando II e Glória que está em Cacilhas. Dizem eles à saída do JI: "Ó Rute o D. Fernando era o marido da D. Maria II... e quem era a Glória?!"
Olhos atentos perscrutaram toda a fragata enquanto cantavam a música dos Da Vinci e se concentravam para descer as íngremes escadas. De regresso ao JI as perguntas e a discussão pareciam não ter fim. É bom ter um grupo assim.
Segundo: Ando preocupada com algumas questões relativas à aprendizagem, competências e adequação de estratégias. Nestes dias vou ler, reflectir, avaliar e redefinir algumas estratégias específicas para determinadas crianças.
Ah! E vou organizar o portefólio e todas as questões relativas à minha avaliação. E vou continuar a formação que estou a fazer... que exige trabalho, esforço, dedicação e tantas outras coisas mas que me faz rir, f…

E quando uma escritora pergunta: "Quem gosta de escrever?"

Adivinhem quem colocou o dedo no ar? Adivinhem quem ficou orgulhosa? Adivinhem quem olhou com ternura?
Eles! Eu! Eles (para mim) e Eu (para eles)!


Obrigada Luísa Ducla Soares! Pela simpatia. Pelos olhares ternurentos. Pelas suaves palavras. Pelos livros que fazem nascer a vontade de ler e escrever.

[Numa sala cheia de crianças de 1º ciclo, estes dedos fizeram-se notar.]

Outros projectos, outras artes...

Porque me deu para ser "aventureira" (segundo consta), tenho a sensação de que vou andar a ver "coisas" até segunda-feira!!!



Vamos lá ver que mais coisas virão... Para já ficamos por aqui:

"Meu Deus! E este morcego!"

Arte(s) mágica(s)

Este é mais um dos quadros de Vasarelly mas este é especial lá na sala. Desde o início do ano que as crianças abrem o livro do pintor, folheiam as páginas e param na que tem este quadro, exclamando que é uma porta mágica.
Um dia destes à hora do início do tempo lectivo da tarde, estava eu à porta da sala quando as crianças vinham a entrar com a assistente. Apeteceu-me (é mesmo este o termo) não os deixar entrar... sem antes me dizerem a palavra mágica. Responderam-me... se faz favor! (lol) Mas não era essa que eu queria... queria uma especial (a que me veio à cabeça naquela altura!). Queria a palavra mágica do Ali Baba e os 40 ladrões. Ninguém a sabia, ninguém conhecia a história. Entrámos, procurámos na biblioteca do JI e, por sorte, lá estava um livro velhinho que tinha a história. Ouviram-na com o objectivo de descobrir a tal palavra mágica. E lá estava ela: "Abre-te Sésamo!".
No dia seguinte, no momento de planeamento da manhã, volta-se a falar das produções do dia anterio…

A Arte no Jardim de Infância

A área dos jogos esteve ocupada durante quase todo o dia com 3 meninas que decidiram fazer umas produções. A B. foi a primeira a concluir e a mostrar-me o que tinha feito. Sugeri-lhe que fizesse o mesmo mas desta vez recorrendo ao desenho, à pintura ou ao recorte e colagem. Aceitou o desafio. Foi buscar os materiais e dedicou-se à sua tarefa com empenho.



No final do dia apresentou os seus trabalhos aos colegas juntamente com as outras duas meninas.


Ao observarmos estes trabalhos lembramo-nos do livro do Vasarelly que temos na sala porque ele usava formas geométricas e cores nos seus quadros. Há vários mas estes foram alguns dos que estavam no livro e que encontrei também aqui.
A conversa continuou no dia seguinte e, assim sendo, continuará também no próximo post.

Qual é o maior vulcão do mundo?!

Mas não estavam a fazer um projecto de História de Portugal?!

Desde Janeiro que começámos a desenvolver um projecto de História de Portugal mas tantas outras coisas têm acontecido e esta é mais uma delas. De simples conversas surgem interesses e questões. Uns pesquisam e comunicam-nas aos colegas e daqui podem surgir outras questões colocadas por outras crianças. E o processo repete-se. Não temos todos que trabalhar em todos os projectos e não temos sempre que trabalhar no projecto de História de Portugal. Se assim fosse provavelmente era limitador... e provavelmente também não eram projectos das crianças. E provavelmente os projectos não se iam alimentando com as aprendizagens diárias que fazemos. Funcionamos bem assim. E quando até pensamos que determinado projecto ficou por ali, eis que surge uma nova questão que nos leva a continuar a pesquisar e a estabelecer novas ligações entre os conceitos. Já agora... sabem qual é o maior vulcão do mundo?!

histórias de Portugal

O projecto de História de Portugal tem sido tão rico e promotor de tantas aprendizagens que tenho sentido alguma dificuldade em expressar de forma evidente e perceptível todos os seus contornos. Para além de alguns apontamentos que aqui vou deixando, decidi criar um site com as histórias da História de Portugal contadas pelas crianças. Vão espreitar! Podem encontrar também alguns recursos úteis (histórias, músicas, videos) e artigos científicos sobre Educação Histórica e Consciência Histórica. Área interessante, esta. Apetece pesquisar, reflectir e investigar!
http://historiasdeportugal.webnode.com.pt/

Sala Poliglota

Contar...

- quem está no JI
- quem ficou em casa
- fatias de bolo
- reis de Portugal
- rainhas regentes
- bandeiras usadas desde a monarquia
- número de anos que cada bandeira foi usada
- número de anos da bandeira que foi usada durante mais tempo
- número de anos da bandeira que foi usada durante menos tempo
- há quantos anos morreu D. Afonso Henriques
- quantos anos tinha D. Afonso Henriques quando morreu...

Números "pequenos", números "grandes", contas e mais contas em que os dedos de cada mão já não chegam e é preciso juntar os dedos de quase todos os meninos da sala para contar! Experiências novas para todos (eu incluída!). Esta enorme vontade de contar já dura há semanas, mas ainda há conversa para:

- "Eu sei contar até 10 em inglês: one, two..."
- "Eu sei contar até 10 em francês: un, deux..."
- "Eu sei contar até 10 em chinês: 1, 2..." (ele contou em chinês mas eu não consigo reproduzir!!!)

Ide todos já para o Ensino Superior!!!
Deixai esta si…

reflexão e... acção!

imagem daqui "As pessoas que vencem neste mundo são as que procuram as circunstâncias de que precisam e, quando não as encontram, as criam." (Bernard Shaw)

Educação e Parentalidade

A realizar no Auditório do Metropolitano de Lisboa. Consulte o programa aqui.

Queremos saber...

"Como é que o D. Afonso Henriques morreu?"

"Como é que deixou de haver Reis (em Portugal)?"


Foram as mais recentes questões que surgiram no âmbito do Projecto de História de portugal.Ora vejamos as hipóteses levantadas pelas crianças para cada uma das perguntas.







"Como é que morreu o D. Afonso Henriques?"
Achamos que pode ter sido de...1) de velhice2) na luta3) sufocado, apertaram-lhe o pescoço
"Como é que deixou de haver reis?"Achamos que pode ter sido porque...1) os reis saltaram todos da janela2) o rei já não quis ser rei3) o rei estava farto de não fazer nada4) o rei matou todos os maus5) os reis foram embora para EspanhaLevantadas as hipóteses e recolhidas as opiniões individuais, a maioria das crianças pensa que D. Afonso Henriques morreu de velhice e que deixou de haver reis em Portugal porque os reis foram embora para Espanha. Solicitámos o apoio das famílias para pesquisar em casa e trazer material para a sala. As famílias colaboraram e agora…

A Educação das crianças na China

"Contrariamente ao que ocorre nos países europeus, a educação de uma criança na China é intensa e extrema, até ao ponto de que alguns adultos não teriam a capacidade de suportar a pressão, o nível de exigência é realmente elevado e as crianças convertem-se em máquinas para estudar, pouco tempo para o jogo, muita disciplina e demasiadas obrigações educativas com as que forçosamente estão comprometidos.

(...) A educação contempla as horas de escola habituais mais as horas extra-escolares que se dedicam aos deveres, classes adicionais de matemática, inglês e no final as crianças devem acabar as tarefas escolares a altas horas da noite e realmente extenuados." (publicado no Boletim da AMEI-WAECE, que pode subscrever aqui. Ou ler na íntegra, em espanhol, aqui).

No TOP

Um dia o R. chegou a cantarolar o refrão e os pedidos para repetir foram muitos. Há já algumas semanas que a canção está no TOP, a sua letra foi esmiuçada até à exaustão porque a vontade de a compreender era muita, as idas ao Globo Terrestre foram frequentes e as tentativas de escrita sucedem-se.Parece que estamos numa de Festival da Canção de... 1989!