sábado, maio 01, 2010

"as rectas são uma seca"


Geralmente é assim. Quando tenho pouco tempo para ler é quando me apetece (ou preciso) de ler mais. Ler por prazer, por lazer, por querer fugir ao inevitável (?), por simplesmente querer ler...

Até parece que não tenho planificações e avaliações para fazer, portefólios para organizar, textos para decorar. Sim textos para decorar. Daqueles que não dá para fazer cábulas e em que o tempo do improviso já está a ficar para trás.

Pois é talvez por este caminho, ou devido a este caminho, e porque "as rectas são (definitivamente) uma seca", que estou a gostar de ler o primeiro, e recentemente editado, livro de Vítor Norte.

Acho que nunca andei muito em linha recta. Há sempre curvas e mais curvas e mesmo quando o caminho parece sempre a direito... será que é? Ou sou eu que não sei andar em rectas? E, neste caso em particular, o álcool nem sequer é para aqui chamado!

[Um dia destes esclareço esta conversa do álcool. Para já não fiquem com ideias erradas. lol]
[ A foto é de uma das "curvas". lol]


"As rectas são uma seca (...) não é, no entanto, um livro sobre actores. É um livro sobre pessoas. Inventadas, reais, personagens, «cromos», gente da cidade, que respira por tubos de escape e se enfeita com cromados." (João Lagarto)

4 comentários:

Maria da Luz Borges disse...

Mas , por questões de segurança, vale a pena fazer um esforço e mantermo-nos nelas.É que as curvas podem ser muito perigosas!

rute moura disse...

LUZ: E as contracurvas?! Essas então são um perigo! lol

beijinhos

M. Jesus Sousa (Juca) disse...

Pois é, esta conversa sobre curvas, contracurvas e rectas fez-me lembrar algo de que já não me lembrava há muito tempo...uma antiga definição de mulher, sabem? (Lol)

Mas, na verdade, as rectas são mesmo uma seca, até dão sono... não há nada que chegue a uma boa curva, no bom sentido, é claro.

Por isso é que, sempre que há novidades, venho até aqui dar uma curva e alimentar-me com as sábias palavras da Rute. Porque gosto.

Bjs, Juca

Gabriela disse...

Rute, também sou daquelas que preferem o caminho com curvas...é menos monótono e dá mais luta...o resto logose vê!
Gabriela